A Origem da Gravata

9 Oct 2017

Descubra como e onde surgiu esse item singular do guarda-roupa masculino

As primeiras menções a acessórios do vestuário masculino que poderiam fazer alguma referência ao que conhecemos atualmente como gravata pode ser considerado o lenço que os legionários do Império Romano usavam no pescoço com um nó, ou mesmo algo similar encontrado nos exércitos do imperador chinês Qin Shi Huangdi esculpidos em terracota.

 

Mas a versão mais próxima da atual gravata e com uma pegada de moda, já que recebeu uma adesão do público, surgiu na Croácia, aliás esse lugar é surpreendentemente maravilhoso! Acabei de voltar de lá e simplesmente amei! Foi a melhor escolha para o cenário de Game of Thrones e do próximo Robin Hood que chega aos cinemas em 2018. Aqui, só umas fotos tiradas do alto da muralha  da Cidade Antiga em Dubrovink com o Forte Lovrijenac ao fundo!

 

 Ah! Mas voltando às gravatas, fazia parte do uniforme dos soldados croatas um cachecol, que variava de material de acordo com a estação do ano. Ao passar pela França, no século XVII, os franceses, que têm moda correndo nas suas veias, gostaram do acessório e imediatamente incorporaram no seu estilo causando o maior frisson.

 

Elas receberam o nome de “Cravate” que é uma corruptela de “Croat” em francês.

Em Zagreb, a Capital da Croácia, tem uma loja que chama Kravata, ela fica na Rua Radićeva 27. Bem perto da Praça Jelačić e próxima ao Pile Gate, antiga entrada da cidade medieval. Lá, as gravatas são feitas artesanalmente e o cliente pode escolher o tecido, a cor e o modelo e ter uma gravata exclusiva.  

  

 

Não tem a menor dúvida de que a gravata se tornou um acessório muito especial para o visual masculino. E ela diz muito a respeito de quem usa, refletindo seu estilo e identidade. Tanto no que em relação à sua largura, as mais largas são bem tradicionais e as fininhas têm uma vibe bold, bem jovem e contemporânea. Além disso, ainda tem a escolha das padronagens e das cores que são mais elementos para incorporar personalidade.

 

Por isso, a escolha da gravata merece muita atenção. Como é um elemento próximo ao rosto,  sua cor irá refletir diretamente no rosto produzindo efeitos positivos ou não, dependendo da cartela de cor específica de quem irá usar.

Uma dica antes de comprar sua próxima gravata é fazer sua Análise de Coloração Pessoal  para acertar no tom que te favorece mais!

 

Caroline Demolin – Consultora de Imagem e Personal Stylist

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts em destaque

Dicas para fazer escolhas mais coerentes com seu estilo

September 19, 2019

1/10
Please reload

Posts recentes
Please reload

Arquivo